Contato

Entre em contato conosco!
Tire suas dúvidas ou envie sugestões
Clique aqui!

Notícias / Geral

Superintendência de Fiscalização encerra o ano com aproximadamente R$ 3 bilhões em lançamentos

Publicado por Pau e Prosa Comunicação em 22/12/2020 às 14:23

Superintendência de Fiscalização encerra o ano com aproximadamente R$ 3 bilhões em lançamentos
A Superintendência de Fiscalização (Sufis) da Sefaz-MT, composta por quatro coordenadorias de fiscalização, apresentou o resultado de 2020, consolidando R$ 2,92 bilhões em lançamentos tributários decorrentes de auditoria fiscal. As unidades atuaram em diversos segmentos da economia, como a agricultura, combustíveis, transportes, energia, receitas públicas, dentre outros. O setor se prepara para intensificar as ações em 2021, contribuindo com a cobrança e arrecadação adequada de tributos ao estado.
                                                         
A Coordenadoria de Fiscalização da Indústria e Agronegócio (CFIA) concluiu em 2020 um total de 850 auditorias fiscais, cujo valor chegou a R$ 979 milhões em autuações. A equipe teve como foco a fiscalização de produtores rurais e atacadistas grãos que promoviam simulações e emissões irregulares de notas fiscais que eram utilizadas para sonegação do ICMS e do Fundo Estadual de Transporte e Habitação (Fethab).
 
Para 2021, o Coordenador Nilton Esaki, destaca que o planejamento prevê que a fiscalização se estenderá para outros segmentos com a atuação da unidade em atividades conjuntas com o Ministério Público, Delegacia Fazendária, Instituto de Defesa Agropecuária (INDEA) e Agência Nacional de Mineração (ANM), tendo como objetivo reprimir os ilícitos fiscais e defender a ordem econômica e tributária.
 
A Coordenadoria de Fiscalização de Combustível, Comércio e Serviços – CFCS, concluiu o ano com 400 auditorias fiscais resultando em R$ 883 milhões em autuações fiscais. O foco das fiscalizações foi para o segmento de combustíveis, atuando fortemente em usinas, distribuidoras e postos revendedores varejistas de combustíveis. Outros segmentos como transportes, energia e comunicação também tiveram ações efetivas no combate à sonegação e fraude do ICMS. 
 
Coordenador da unidade, Luiz Silva de Moraes, destaca que para o ano que vem a CFCS continuará com atuações nos principais segmentos, em que o planejamento prevê a intensificação das ações fiscais presenciais de impacto, visando aumentar a difusão do risco fiscal e reprimir os ilícitos tributários.
 
A Coordenadoria do IPVA, ITCD e outras Receitas Públicas - CIOR, durante o ano de 2020 constituiu e registrou no CCF 1.933 lançamentos de ITCD, no valor original de tributo de R$ 63,07 milhões. O foco durante todo o ano foi priorizar a redução no tempo de resposta em processos aos contribuintes e a verificação dos documentos e das declarações efetuadas espontaneamente na GIA ITCD. Durante a pandemia, o tributo mais afetado foi o IPVA que teve ao longo do ano suas datas de vencimento prorrogadas, na busca de contribuir de forma positiva com situação econômica das famílias mato-grossenses.
 
Em 2021, a unidade continuará com estes mesmos objetivos, além de incluir e disponibilizar melhorias e evoluções nos sistemas fazendários de serviço aos contribuintes, em especial ao ITCD e IPVA, reduzindo o tempo e os custos de processos e procedimentos fiscais, destaca o Coordenador Yuri Bambirra.
 
A Coordenadoria de Fiscalização de Comércio Exterior, Incentivos Fiscais e Regimes Especiais – CCIR, durante o ano de 2020, executou 68 auditorias fiscais, resultando em R$ 993 milhões em Autuações fiscais. O enfoque destacado no planejamento da unidade de fiscalização foram as irregularidades verificadas na utilização de incentivos fiscais tais como o PRODEIC e PROALMAT e ainda as operações de exportações que não foram efetivadas.
No próximo ano, a unidade incluirá em sua atuação fiscal no cumprimento das regras de benefícios previstas na Lei Complementar estadual 631/2019 quanto ao cumprimento dos requisitos de sua fruição, como também atuará fortemente nas operações de importações, em especial nas verificações da base de cálculo do ICMS; sendo outro ponto de destaque a fiscalização nas remessas para exportação das commodities do estado.
 
O Superintendente de Fiscalização José Carlos Bezerra Lima, destaca que a fiscalização iniciou em 2020 um projeto de auditoria contábil-financeira que já resultou em mais de R$ 6,5 milhões em autuações por fraudes na contabilidade das empresas que reduziram o ICMS devido em suas operações. A estimativa para 2021, de acordo com ele, é de que as auditorias fiscais se intensifiquem sobre os registros contábeis e financeiros, visto que são fontes oficiais de informações que afetam consideravelmente o recolhimento do ICMS e do ITCD devidos.
 
O Secretário Adjunto da Receita Pública-SARP, Fábio Fernandes Pimenta, destacou que as “ações de combate à sonegação desempenhadas pela SUFIS atingem os contribuintes que não declararam e/ou não efetuaram o pagamento dos tributos devidos ao Estado, de forma a evitar a concorrência desleal destes com as empresas que cumprem o seu papel de bons contribuintes e cumpridores das obrigações tributárias. Neste final de ano, período em que o comércio aumenta vendas, é fundamental também que o consumidor exerça seus direitos e sempre obtenha a nota fiscal em suas compras, o que lhe dará a garantia do produto, possibilitará ao Estado a execução das políticas públicas, além de concorrer aos prêmios do Programa Nota MT", finaliza.

Fonte: Pau e Prosa Comunicação

Receba em seu e-mail todas as informações atualizadas!

 

Contato

Entre em contato conosco!
Tire suas dúvidas ou envie sugestões
Clique aqui!

(65) 3624-2605
Afismat Fenafisco
Sitevip Internet